TARDE DAS GARRAFADAS

O jogo aconteceu no dia vinte e nove de Dezembro de 1957 pertinho das festas do final do ano, será que tivemos um dia festivo?

Era uma decisão e decisão normalmente não tem como ser tranquila, agora colocando os ingredientes do clássico Majestoso, você acredita que foi tranquilo?

Quisera eu dizer que sim, que foi um jogo sem problemas, que o São Paulo ganhou fácil, mas não foi bem assim. O primeiro tempo começou tenso, com uma confusão entre dois jogadores. Gino e Luisinho que já haviam brigado no jogo anterior do clássico logo no inicio da partida e a tensão ficou ao longo do primeiro tempo que terminou 0 X 0.

No segundo tempo o jogo ficou mais aberto e aconteceu 3 gols em cinco minutos, dois para o São Paulo marcados por Amauri e logo depois por Canhoteiro e um de Rafael para o Corinthians que parecia que iria reagir, mas não foi o que aconteceu porque Maurinho não deixou e marcou o terceiro e gol do título do São Paulo.

O goleiro Gilmar se irritou e correu atrás de Maurinho e deu inicio a confusão generalizada, em consequência desta briga no momento que o São Paulo foi dar a volta olímpica no estádio para comemorar o título, a torcida corintiana começou a atacar garrafas para dentro do campo o que impediu a comemoração dos jogadores do tricolor e por conta deste ato este jogo ficou conhecido na história como “A tarde das garrafadas”.

Mais uma prova que a rivalidade de São Paulo e Corinthians não é de agora e que são rivais até em jogos de bolinha de gude.

Repito a pergunta do inicio do texto: Foi um dia festivo? Para o Tricolor foi, pois se sagrou campeão paulista de 1957, porém lamentável pelo desfecho violento, então vale dizer que:

O bom senso adverte: Tirar sarro é saudável violência não!

SÃO PAULO 3 X 1 CORINTHIANS

SPFC-Poy, De Sordi e Mauro; Sarará, Vítor e Riberto; Maurinho, Amauri, Gino Orlando, Zizinho e Canhoteiro.

Técnico-Bella Guttman.

Corinthians – Gilmar, Olavo e Oreco; Idário, Walmir e Benedito; Cláudio, Luizinho, Índio, Rafael e Zague.

Técnico-Oswaldo Brandão.

Gols: no segundo tempo, Amauri, aos 17, Canhoteiro, aos 19, Rafael, aos 21; e Maurinho, aos 34.

Data: 29 de dezembro de 1957

Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SP). Árbitro: Alberto da Gama Malcher. Renda e Público: Cr$ 2.409.040,00 /39.670 pagantes

Anúncios

8 respostas em “TARDE DAS GARRAFADAS

    • É isso mesmo! Existem muitos jogos históricos no nosso futebol e sem dúvida vale apena falar sobre eles. Vou conhecer um pouco mais sobre o jogo da Lama e das Barricas, se não me engano este ultimo foi um torneio amistoso entre os 4 grandes de São Paulo mas vou procurar saber mais.
      Abraço

    • é muito clubismo e imbessilidade achar que um jogo salva algué da falência kkkkkkkkkkk ´só o guarani e ponte preta da capital para inventar essa

  1. Pingback: Béla Gutmann «

  2. Pingback: BÉLA GUTMANN «

  3. Pingback: BÉLA GUTMANN | Soberanos

  4. Pingback: SOBERANOS | BÉLA GUTMANN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s