UM SONHO DA ILHA DA MADEIRA AO MORUMBI

E na semana em que o maior estádio particular do Brasil completa 51 anos, temos o prazer de reeditar essa história aqui…

Saudações Soberanos,

Imaginemos Laudo Natel até então um bancário que começara a ter funções de diretor de um lado da mesa na outra ponta Cícero Pompeu de Toledo, o presidente.

Também imaginemos uma música ao fundo desta cena, o enquadramento é na mesa com um de cada lado. Depois closes rápidos no rosto de cada um. Um silêncio. Até que Laudo Natel diz:

– Construiremos o maior estádio particular do Brasil, construiremos um titan do futebol Nacional.

Não menos dramático e se levantando da cadeira Cícero Pompeu de Toledo ao seu modo diz:

– Já que é um sonho, que seja grande!!!

Neste momento se aumenta o volume da música e na cena seguinte temos várias pessoas vendo várias plantas de estádios de futebol.

Não, não foi assim a história da construção do nosso palco sagrado. Mas foi quase…

Antes da conversa real entre Natel e C.P de Toledo, o São Paulo era até então o Tricolor do Canindé, onde se tinha o terreno e algumas dependências, mas não um estádio em si e era impossível de construir um nas proporções do sonho que se queria. Logo a solução foi vender tudo e partir para um grande projeto. E foi o que aconteceu se vendeu o tudo para Associação Portuguesa de Desportos que viria depois a construir o Osvaldo Teixeira Duarte, mais conhecido como o Estádio do Canindé. Foi o adeus do tricolor a Ilha da Madeira como era conhecido o terreno do Canindé.

E muitos acreditam que foi graças a esta grande ousadia que o sonho começou a se realizar. A busca por um terreno foi difícil e existiu a possibilidade de ser onde hoje é o Parque do Ibirapuera, mas Jânio Quadros que ainda não era presidente do Brasil não deixou. Tentou-se também onde hoje é o Circulo Militar, mas também não deu certo. Afinal de contas não era fácil encontrar um terreno com 145.000 metros quadrados, realmente não foi fácil, aconteceram inúmeras coisas até que se chegou a um terreno no Jardim Leonor ou Morumbi um lugar praticamente desabitado.

Foto: Fonte Google

Vale dizer que para a construção do estádio dizem que daria para construir cerca de 90 prédios de 10 andares com 2 apartamentos de 150 metros por andar e que foi usado cerca de 400 mil sacos de cimento, outros dizem que foi usado aproximadamente 6 mil toneladas de ferro que se fossem soldados de ponta a ponta ligaria São Paulo a Lisboa. Dizem!

Para o sonho acontecer precisou de inúmeros sacrifícios inclusive vender muitos jogadores, tudo em nome do sonho!

A primeira inauguração aconteceu no dia 2 de outubro de 1960 contra o Sporting Club de Portugal. Já com Laudo Natel como presidente substituindo Cícero Pompeu de Toledo. Até então o Morumbi ainda não estava pronto, o anel superior não estava completo tinha somente 32 dos 70 vãos.  Abaixo segue a ficha do jogo:

São Paulo Futebol Clube 1 x 0 Sporting Club de Portugal

SPFC: Poy; Ademar, Gildésio e Riberto; Fernando Sátyro e Victor; Peixinho, Jonas (Paulo Lumumba, depois Cláudio Garcia), Gino Orlando, Gonçalo e Canhoteiro (Roberto Frojuello). Técnico: Flávio Costa.

Gol: Peixinho, 12′ 1°Tempo

SCP: Aníbal; Lino, Morato e Hilário; Mendes e Júlio; Hugo, Faustino, Figueiredo (Fernando), Diogo (Geo) e Seminário. Técnico: Alfredo Gonzalez.

Árbitro: Olten Ayres de Abreu

Renda bruta: Cr$ 7.868.400,00

Renda líqüida: Cr$ 7.779.900,00

Público pagante: 56.448

Público presente: 64.748

Não aconteceu somente este jogo foi uma semana inteira sobre a inauguração do Morumbi com um programa sobre o evento distribuído com a assinatura do próprio Laudo Natel, tudo para se conseguir arrecadar o máximo de dinheiro possível para concluir o estádio e no domingo seguinte da inauguração houve um jogo dos veteranos do São Paulo x Seleção Paulista e no jogo de fundo o tricolor enfrentou o Nacional do Uruguai e venceu por 3 x 0. Jogaram pelo São Paulo como convidados Julinho Botelho e Djalma Santos do Palmeiras e Almir do Corinthians e Pelé não pode comparecer por estar contundido.

Logo depois foram mais alguns anos de muita luta até 1970 para inauguração definitiva do Morumbi. Lutas que conto outro dia.

 Continua…

@Claudiorosa

Fonte de pesquisa:

http://www.pinheiros.com.br/city/morumbi/estadio.htm

http://www.saopaulofc.net/spfcpedia/a-historia-do-spfc/morumbi/

http://terceirotempo.ig.com.br/quefimlevou_interna.php?id=1034&sessao=f

Anúncios

2 respostas em “UM SONHO DA ILHA DA MADEIRA AO MORUMBI

  1. Foi um sacrifício para o time naquela época, anos de jejum enquanto construía o Morumbi, mas valeu a pena, mesmo com um time mais fraco em uma década e sendo o clube mais novo da elite brasileira, somos os mais vencedores e com uma casa linda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s