Primeiros reforços

Por saopaulofc.net

Saudações Tricolores!

O São Paulo apresentou ontem à noite os primeiros reforços para próxima temporada, são eles: os zagueiros Edson Silva (Figueirense) e Paulo Miranda (Bahia), o volante Fabrício (Cruzeiro), e o meia Maicon (Figueirense).

Todos foram destaques no último Campeonato Brasileiro, mas o fato é que ainda estão longe de serem nomes que empolguem a torcida, caras como os especulados Nilmar, Breno, Jadson, Kaká ou Montillo.

O último segue em uma novela enorme, sem dar pinta de um final. Há quem diga o São Paulo desistiu de contratar o argentino, há outros que ainda não veem como certo esta desistência. Na minha modesta opinião é muito dinheiro para um jogador só, principalmente por ser já um trintão, que não deverá render aos cofres tricolores futuramente. Se vem ou não, resta esperar.

A diretoria ainda prometeu pelo menos três nomes de peso, mas esses devem aparecer somente no ano que vem, enquanto isso vamos vendo o desenrolar de todas as especulações.

Janeiro certamente ainda contará com a saída de alguns atletas como Xandão, Jean, Marlos, Carlinhos, Dagoberto.

Sobre os novos contratados se darão certo ou não, só esperando a bola rolar, aí sim poderemos avaliar com precisão. Vamos torcer!

 

Sem palavras para expressar!

Quando me perguntam quais são os motivos ou razões pela quais torço pro São Paulo Futebol Clube me faltam explicações, é um amor tão grande diferenciado.

Sou tricolor de coração deis de quando eu vi o jogo do tricolor contra o Corinthians há muito tempo atrás e até hoje eu me lembro da emoção que eu senti vendo aquele jogo, a vibração da torcida o amor e respeito que os jogadores tinham pelo manto que vestiam… Lembro do olhar dos torcedores um olhar Guerreiro com amor admiração ORGULHO de ser preto vermelho e branco, não foram os títulos as vitórias que me conquistaram e sim o que o SÃO PAULO representa na vida de cada torcedor!

Me faltam palavras quando se trata do meu AMOR pelo soberano , pois não são só palavras são sentimentos escolhas , sorrisos , vitórias , derrotas , tristezas , soberania  (…) Só você sendo são paulino pra saber qual é o sentimento , só assim você descobrirá esse amor que nós torcedores temos com o nosso time…Hoje pra mim o SPFC representa não só um clube e sim uma vida , falo com o peito cheio de amor com os olhos lacrimejando EU TE AMO TRICOLOR DO MORUMBI a cada segundo que passa , a cada batida do meu coração só aumenta esse meu amor por você!

Muitos torcedores reclamam ou dizem ser fanatismo o que sinto mais isso vai além ser tricolor não se explica se sente, não se contesta demonstra, e por tudo que o São Paulo representa para mim, e para toda uma nação de torcedores sei, que o que mais importa e o que eu mais quero e ver o Morumbi lotado com milhares de vozes gritando “Como eu te amo tricolor, eu te amo demais..”Isso sim é paixão, sem limites sem explicação, te amo pelo simples fato de ser você São Paulo a razão do meu sorriso.

Por tudo que sinto, hoje amanhã e sempre e por você e com você Tricolor que estarei até o final,pois São-Paulino não é apenas um mero torcedor que ama, são-paulino é pura emoção com aquela pitada de sentimento que quem sente sabe muito bem do que estou falando.

Enfim só tenho a agradecer ao Soberano, por tudo que me proporcionou e me proporciona nesses 76 anos de existência glorias e conquistas.

Texto: @raquelnadini

“São-Paulinidade”

Final da Libertadores de 1994: São Paulo x Velez Sarsfield (Foto: Acervo/Gazeta)

Olá Soberanos !

Como essa é minha primeira coluna, num quero destacar fatos, ou descrever acontecimentos, aliás, quero sim descrever um acontecimento. Aconteceu lá em 24/08/1994, eu tinha 4 anos de idade apenas, e durante esse dia todo meu pai, me contava sobre suas idas ao Morumbi, sobre tudo que ele já havia visto, e dizia que veria o São Paulo ser o primeiro TRI da América no Brasil. Ele foi até uma loja e comprou uma camisa oficial pra mim, que eu tenho até hoje.

De noite ele colocou a TV pra garagem, chamou varias pessoas, se enrolou na bandeira do MAIOR DO MUNDO, e o São Paulo fez 1×0. Ele estava confiante, dizia que o Zetti pegaria os pênaltis, porque tinha sido assim no ano anterior. Mas não aconteceu, o São Paulo perdeu aquela decisão de pênaltis por 5×3, e pela primeira, e única vez até hoje, eu vi meu pai chorar, e eu também chorei sem saber o porque.  Hoje eu sei, sei porque ele chorou, sei porque eu chorei.

É tricampeão! (Divulgação)

Mais de dez anos depois, em 14/07/2005, eu estava lá de novo, desta vez no Morumbi, la junto com todos os são paulinos. E nós vencemos. Aquele era um sentimento único, diferente de tudo, lá eu vi, meu amor pelo São Paulo Futebol Clube é a maior herança que meu pai poderia me dar.

Uns nos chamam de arrogantes, outros usam outros termos. O real, é que nossa São Paulinidade nos torna Soberanos, nós temos tudo, e temos mais. Não importa a fase ruim, ela sempre passa. Amo o São Paulo, e tudo farei por ele.

COMO EU TE AMO TRICOLOR, COMO EU TE AMO DEMAIS.

                                                                                                                             Caio Soliani

@caiosoliani

O Caminho de um TRI MUNDIAL!

SPFC TriMundial: Amoroso, Fabão, Rogério Ceni, Lugano, Danilo, Edcarlos, Aloísio, Júnior, Josué, Cicinho e Mineiro

Nem nos mais dourados dos sonhos nós tricolores imaginaríamos um ano de 2005 tão fantástico, e incrível como o que tivemos. E este terminou com um maravilhoso Mundial. Todos imaginavam que o gol do titulo sairia do cruzamento de Cicinho, de uma enfiada de Júnior, ou que sabe de um passe açucarado de Danilo. Um gol do artilheiro do time, nada mais natural que isso. Só que o mundo do futebol prega peças, subverte lógicas.

 O gol que quebrou as pernas do Liverpool, o gol do TRI que acabou com a invencibilidade de 11 jogos sem ser vazado, do time inglês aconteceu assim: Em uma bola na intermediaria no pé de Aloísio Chulapa, o centroavante “toscão” contratado do Atlético- PR, pois ele domina, levanta a cabeça, enquadra o corpo para fazer a jogada óbvia: lançar em diagonal para Amoroso, que aparecia feito um foguete. Não, Aloísio fez diferente. De três dedos, com a categoria dos grandes mestres, o lançamento saiu para Mineiro perfeito, sem peso. E Mineiro,o volante que só faz gol em videogame, recebeu a bola, esperou o ótimo Reina escolher o canto e marcou. Um gol inacreditável, que abriu o caminho para conquista do Tri.

O Liverpool era um dos favoritos ao título Mundial, não apenas nas casas de apostas. Em grande fase, o Liverpool mostrava muita variação de jogos no Campeonato Inglês, se classificou na primeira fase da liga dos Campeões na frente do poderosíssimo Chelsea. Em contrapartida, um São Paulo sem ritmo, bem diferente daquele campeão da Libertadores no meio do ano.

Por tudo isso era preciso sonhar, e foi o que nós são-paulinos fizemos. Só que nem tudo foi tão inesperado na manhã do título. Se o gol de Mineiro, com o lançamento do artilheiro Aloísio, foi uma surpresa, o título também é resultado de uma obviedade. Rogério o título também é resultado de uma obviedade. Rogério Ceni jogou demais. No primeiro tempo, salvou uma cabeçada do espanhol Luis Garcia. No segundo tempo, buscou no ângulo uma bola cobrada por Gerrard. Em um jogo que o Liverpool goleou nos escanteios (14×0), Ceni foi o dono da grande área. Pegou o possível é o impossível, liderou a equipe quando o desespero pareceu tomar conta na pressão inglesa do segundo tempo. M1to, que vinha salvando o time mais pelos gols, agora foi fundamental apenas na função primordial de todo goleiro. Evitou gols em um jogo de detalhes, de marcação cerrada. Nem sempre essas premiações de jogadores do campeonato são justas. Mas em 2005 foi justíssimo, Rogério Ceni ganhou a Bola de Ouro e ainda levou de quebra a chave gigante do Toyota como melhor da final. Justo de mais, até porque ele era o único tricampeão Mundial do grupo (em 1992/93 ele era banco).

A maior defesa do mundo!

Rogério Ceni teve boa companhia. A final do Mundial não foi de Amoroso, mas de Lugano, Edcarlos, Fabão. Pois sabe o que é tomar pressão 90 minutos e não levar gol? Foi o que aconteceu com o tricolor e ai responsabilidade é dos zagueiros. Claro que Josué foi um leão e roubou as bolas que precisava  ser roubadas. Danilo prendeu a bola. segurou um resultado que era favorável, júnior conseguiu ser lateral e ala ao mesmo tempo. Cicinho não fez dos melhores jogos de sua vida mais pelos menos mordeu.

O São Paulo não fez uma partida memorável no ponto de vista técnico. E Daí? Quanto vale um título mundial? O São Paulo já conhecia essa história duas vezes e quebrou e quebrou uma maldição. Ao vencer o Liverpool, o tricolor interrompeu a serei de fracassos dos clubes brasileiros em finais do Mundial Interclubes na década de 90.

Nosso São Paulo mereceu é muito esse título, pois nunca um time brasileiro se preparou tanto para essa competição ou melhor dois jogos. O São Paulo esqueceu do mundo por dois meses para pensar exclusivamente no Mundial. Descansou jogadores (deu férias para alguns), largou o Brasileirão dissecou o Liverpool, chegou com antecedência ao Japão,treinou no avião,se desdobrou para contratar um reforço(Aloísio)…

Divulgação

Mas nem tudo foi perfeito, ao chegar do outro lado do mundo, o tricolor descobriu que nem tudo era to simples isso ficou claro após a estreia contra o Al-Itthad, quando nosso tricolor penou ara fazer 3×2 expôs todo esse quadro. Isso é claro com os jogadores fazendo greve de silencio com a imprensa dentre outros motivos extracampo. Porém foi nesse caminho que p tricolor entrou em campo em Yokohama para decidir um titulo contra um time que estava invicto há um tempo, com 11 partidas seguidas sem levar um golzinho se quer. Até por isso, o titulo mereceu uma comemoração especial. O impossível virou possível graças ao gol marcado por Mineiro, o rei dos desarmes, pelas defesas inesquecíveis de Rogério, pela raça de quem soube segurar a vantagem. E assim tornou possível o TRIMUNDIAL, e fez com que o ano de 2005 jamais fosse esquecido, não apenas pelos títulos: Paulista, Libertadores, Mundial , mas pela união desta equipe que proporcionou um sucesso no final.)…

Foi assim que terminou nosso ano dourado, incrível e extraordinário. Com esse TRIMUNDIAL  vimos que em se tratando de São Paulo Futebol Clube o impossível sempre é possível. Agradeço muito por ter visto esse título essa equipe em campo, e assim como o sorriso  de cada jogador, foi nossa felicidade no final do ano.

São Paulo Futebol Clube – Versão 2012

Por João Neto/VIPCOMM

O que esperar do poderoso São Paulo em 2012?

Promessas foram feitas, muito se disse e nada aconteceu. Bom, de certa forma o presidente contratou, tentou reforçar o time, infelizmente erradamente. Jogadores como Xandão, Juan, Piris, Carlinhos Paraíba, Denílson, Marlos, Fernandinho não tem condições de jogar no Maior do Mundo. Outros nomes como de Juan, Cícero, Cañete ainda merecem uma segunda chance e até um tempo maior para serem avaliados. Juan, que é cria do clube, não consegue exibir as atuações que mantinha no Flamengo, talvez seja readaptação. Cícero tem futebol para jogar em qualquer equipe do Brasil, e seu rendimento teve um crescimento considerável na parte final do campeonato. Já o gringo, a “esperança” deste ano, foi uma decepção, mas não por culpa própria, Adilson Batista merece destaque especial enquanto foi cabeça dura e não escalou o argentino por vários jogos, quando parecia ter sua chance, se machucou gravemente, que se recupere e volte logo a atuar!

O time deve se reforçar em praticamente todos os setores, diria então que haveria de acontecer uma reformulação no elenco. Os laterais, a exceção de Juan que pra mim ainda pode melhorar, estão muito abaixo da média. O paraguaio Piris é bom marcador e só, as características do muchacho param por aqui. Xandão é fraquíssimo, não sei como conseguiu chegar aqui. João Felipe começou até bem, mas foi caindo de produção, precisa entender ser um zagueiro e jogar o simples feijão com arroz que tanto sabe. Rhodolfo jogou monstruosamente no inicio, mas uma proposta do exterior o abalou muito, seu futebol, se arruinou, todos perceberam. Luiz Eduardo ainda é jovem, e acho até que logo será um titular indiscutível na equipe, Bruno Uvini é um zagueiro bem comum, tanto que chego a compará-lo ao próprio Xandão.

No meio campo de contensão foi motivo de grande preocupação para técnicos, diretoria. Denílson não foi nem de longe aquele volante de pegada e saída que conhecíamos. Wellington é bom jogador, mas não é armador e precisa voltar a ter aquele espírito dos primeiros jogos, de morder e não desistir nunca. Carlinhos, bom, é limitadíssimo e está jogando seu máximo. Casemiro é que foi uma decepção, lembro de seus primeiros jogos, um pouco tímido, depois com o tempo, a Seleção de base foi se mostrando, e depois veio a vaidade e acabou com o bom ano que vinha tendo. Cícero se recuperou bem e espero ver com grande intensidade em 2012.

Meio campo armador foi piada, nem merece comentários, é esperar por Cañete e ver se merece a fama que tem. Rivaldo até lutou muito, mas não foi nem de longe o gênio de anos atrás. Lucas não é armador, seria mais um ponta, precisa de mais empenho, acredito que voltará a ter boas atuações em 2012.

E nosso ataque? Tchau Dagoberto, pra mim, vai tarde e obrigado por nada! Fernandinho e Marlos inexistem. Willian José é limitadíssimo. Henrique foi o melhor jogador da Copa do Mundo Sub-20. Se achou o novo Ronaldo, falou demais, e jogou de menos. Luís Fabiano, voltou, demorou a marcar, mas veio fazendo bons jogos e encerrou o ano com 7 gols, espero seu 100% para mostrar como se faz gols pra essa molecada.

Enfim, o que espero do São Paulo Versão 2012 é no mínimo dedicação, não vejo grandes contratações, todos sabemos que nenhum grande jogador é contratado de graça e sabemos mais ainda que Juvenal não vai investir em ninguém. É esperar que um desses jogadores que estão em pequenas e médias equipes tenham a oportunidade de suas vidas e arrebentem, tenham sangue nos olhos, dedicação e vontade de serem campeões, afinal, tudo o que faltou esse ano.

PS: Rogério Ceni nem foi citado nesse texto, por ser o mito que é, não há nada a falar do grande camisa 01 do São Paulo, a não ser parabenizá-lo pelo Centésimo gol na Galinhada no Paulistinha de 2011.

Com vocês, Eli Borges, 20 anos, bacharelando em Direito e apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube.

Facebook: http://www.facebook.com/EliiBorges

Twitter: https://twitter.com/elborgesr